Páginas

quarta-feira, 4 de junho de 2014

A nossa chama é o fogo da Revolução!

Feminismo como princípio:

O Estopim! se soma aquelas e aqueles que acreditam numa sociedade com vidas livres de violência em suas várias formas, sobretudo a violência contra a mulher. Vidas livres de preconceito e desigualdades, com garantia da autonomia pessoal, do corpo e da maternidade, liberdade religiosa e sexual.

Nos juntaremos sob a bandeira de uma sociedade com tempo disponível ao desenvolvimento cultural e político, com a garantia de direitos, entre eles o de ir e vir, fazer suas escolhas, do descanso, do lazer, do trabalho, até o direito de ser feliz, seja nas escolas/universidades, no trabalho, em casa, no futebol, nas eleições, nas relações, nas redes e nas ruas.

Entendemos que a construção do projeto democrático e popular é a agenda da esquerda brasileira e mundial. Romper com a privatização da política, a sub representação das mulheres e da juventude nas esferas de tomada de decisão, o genocídio da juventude – em especial das negras e negros, é uma tarefa primordial.

Exigimos igualdade de gênero e um cumprimento efetivo de no minimo 50% mulheres dentro dos espaços em que construímos, como a UNE, UEE's, DCE's, C.A.s, Conselhos de Juventude, organizações sociais como um todo.

Há anos as mulheres têm sido oprimidas pela sociedade machista, capitalista e patriarcal, sendo retiradas dos espaços que lhes pertencem por direito como por exemplo os espaços públicos e políticos ou assumirem um papel de submissão quando ocupam algum desses espaços. A violência contra a mulher se expressa dia após dia de diversas formas, seja verbal, imagética, cultural, física... Não aceitaremos nenhuma diminuição da pauta, subjetivação dos casos, minimizações ou que os casos de violência contra a mulher seja tratada de forma estereotipada.



Nossa disposição é de construir a luta feminista no dia a dia, criar amplos debates e formações feministas, auto-organizadas e mistas, para dentro dos espaços em que construímos de maneira com que a desconstrução do machismo possa ser de fato cada vez mais efetiva. Sentimos uma extrema necessidade de clareza em relação ao empoderamento das mulheres em todos os espaços e principalmente nos espaços de decisões, nós exigimos paridade de verdade e solidariedade dos nossos companheiros para com a nossa luta.

O Estopim!
04/06/2014