Páginas

domingo, 1 de setembro de 2013

A violência é institucional. (A mesquinhez política e social que vemos ai, na Bahia, só a revolução socialista para mudar)

*Este é um desabafo de uma militante que não acordou agora!
(texto escrito no dia 19/06 e esqueci de postar)

Estou estarrecida com a situação de Salvador.

As oligarquias detentoras do meio de comunicação usurpam o poder popular que levou cerca de 40.000 pessoas as ruas. Nada é registrado, já vi todas as demais 100 cidades passando na tv, e os 2min reservados para a Bahia não registra a violência policial para com nosso povo.

A TV Bahia bancou a campanha de ACM Neto para a prefeitura e vem fazendo campanha gratuita de sua gestão. O SETEPS compõe as máfias que sustentam a prefeitura. Mas essas duas estruturas burguesas também mantém o governo estadual, com o Wagner.

Me envergonha ver o que a polícia está fazendo em salvador. Me envergonha não ver nada nos noticiários.
E me envergonha saber que as possibilidades de redução de tarifa em Salvador são mínimas, pq nem ACM, nem Wagner terão cifrão ou vontade para enfrentar o empresariado. Depois a polícia quer apoio popular para suas manifestações e greve. Depois Wagner quer apoio popular. Tenho medo do que será a campanha em 2014.

O povo soteropolitano e a população baiana merecem mais de seus governantes. Tenho ciência também de um grupo radicalizando sem consentimento coletivo, mas essa repressão policial só trata mais revolta.
Acredito que só com a regulamentação da mídia e a reforma política não ficaremos mais refém do monopólio dessas famílias donas do Brasil.
Estou em Floripa, por aqui 20mil na rua, movimento dividido entre progressistas e fascistoides, mas sem nenhuma violência policial, algumas brigas entre manifestantes que temos conseguido controlar.

Minha solidariedade ao povo baiano, sigam firme na luta com bandeiras, sem bandeiras, com cartazes, ousadia e coragem... A mesquinhez política e social que vemos ai só a revolução socialista para mudar.